Blog

porElizabeth Renz

“Se o eSocial não funcionar, a folha de pagamento ficará comprometida”

O alerta é do coordenador do projeto eSocial junto à Receita Federal, Daniel Belmiro. “Grande parte dos empresários não está consciente da importância do eSocial para o dia a dia das companhias, pois sua não conformidade pode acarretar, por exemplo, a não execução da folha de pagamento e de multas pelos atrasos”, ressalta. O maior impacto, segundo o especialista, será para as micro e pequenas empresas, que usualmente não têm estrutura para sua implantação. As áreas que serão diretamente atingidas pelo advento do eSocial são a jurídica, de pessoal, TI, recursos humanos, comunicação, medicina ocupacional, financeiro, fiscal e contabilidade, compras, controle interno e de processos e segurança do trabalho.

Belmiro lembra que o prazo para início da obrigatoriedade do eSocial para as empresas acima de 78 milhões de faturamento em 2016, será em janeiro de 2018 e a partir de julho para as demais empresas, inclusive MEIS. Porém, desde agosto deste ano já está disponível o ambiente de testes (de acordo com a Resolução nº 2, do Comitê Diretivo do eSocial, conforme decreto 8.373/2014).

E para mostrar como acontece a inserção das empresas no sistema, Gustavo de Paula e Abdias Melo, especialistas em eSocial, participam, no próximo dia 26 de outubro, de uma palestra gratuita, na Ulbra, em Canoas, voltada para questões práticas da plataforma e seus impactos fiscais. Esta palestra vem sendo aplicada em cidades do Estado de São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Mato Grosso e agora é a vez do RS.

Organizado pela Ideal Qualidade e Desenvolvimento (São Leopoldo/RS), o evento será relevante para que empresários e profissionais de diversos setores estejam preparados para atender à nova demanda. “A proposta é sensibilizar os empresários e gestores a respeito das novas obrigações trabalhista, previdenciária e fiscal que abrangem as informações sociais dos trabalhadores.

“O workshop pretende preparar gestores e profissionais para o maior dos produtos do Sistema Público de Escrituração Digital (Sped), lançado em 2007. Ele permite que empregadores comuniquem ao governo, de forma unificada, as informações relativas aos trabalhadores, como vínculos, contribuições previdenciárias, folha de pagamento, comunicações de acidente de trabalho, aviso prévio, escriturações fiscais e informações sobre o FGTS”, explica a consultora jurídica da Ideal Qualidade, Adriana Fernandes.

A palestra é gratuita e as reservas podem ser feitas pelo link:

https://www.eventbrite.com.br/e/palestra-desafios-do-esocial-tickets-39124751184

E em março de março de 2018 será realizado um workshop com o professor Daniel Belmiro, que é coordenador da Recita Federal e Gerente do projeto eSocial.
Saiba Mais:

Palestra: “Desafios do eSocial”
Data: 26 de outubro de 2017 (5ª feira)
Local: ULBRA – Campus Canoas – Prédio 11, Auditório 2° andar
Horário: 19h – 21h
Contatos e informações: Ideal Qualidade e Desenvolvimento –  (51)
30374289 e contato@idealqualidade.com.br
 

porAndresa Fernandes

O que é o eSocial? Quais os impactos para as empresas?

O eSocial, que começa a vigorar em janeiro de 2018 para empresas com faturamento acima de R$ 78 milhões e, em julho para as demais empresas, pretende integrar em uma só plataforma várias informações onde órgãos competentes como a Receita Federal, Caixa Econômica Federal, Ministério do Trabalho e Emprego, Previdência Social, INSS, entre outros, podem acessar e facilitar a fiscalização destas informações.

Criado pelo Governo Federal, a plataforma visa garantir os direitos dos trabalhadores e a agilidade na coleta e apuração de informações fiscais. Nessa espécie de “banco de dados”, os dados são apurados e verificados.

Apesar de assustar muitas empresas e empresários pela quantidade de informações e organização exigidos, o eSocial contribuirá para a diminuição de burocracias e custos na área contábil. Porém, o grande desafio é a integração entre setores para que as informações sejam consistentes e qualificadas. Caso contrário, as empresas podem encontrar dificuldades com informações inconsistentes.

É imprescindível que a empresa tome conhecimento dos processos englobados pelo eSocial e invista fortemente na qualificação das informações, no treinamento para os funcionários, de forma a conseguirem utilizar a plataforma da melhor maneira possível, evitando erros e incômodos com a Receita Federal e otimizando seu tempo e funcionalidade.

Saiba mais em: Programa eSocial

12